"Uma conversa de bar" sobre a trajetória do Great Teacher Onizuka



Como estão seus vermes, digo, leitores mais lindos do mundo?

Eu? Eu estou bem!

Isso não soa legal, me sinto falando com a minha cabeça.

Bem, estou de volta para mais um artigo sobre alguma coisa que NINGUÉM PEDIU! Porque é assim que funciona o blog, morô?

Mentira, anotamos sugestões, apesar de não garantirmos nada...

Ok, voltei de um hiato de um bilhão de anos, que passaram como uns 3 meses para vocês, porque o meu tempo dentro do meu modo de meditação (leia-se preguiça) parece que demora muito mais na minha cabeça.

Hiato que ainda não é maior que os do Yoshihiro Togashi ou do Kentaro Miura... vamos adicionar o Takehiko Inoue porque já tá demorando muito pra lançar Vagabond.

Mas, voltando a minha pessoa, o que eu fiz nesse tempo além de dormir? Claro que eu fiz alguma coisa! Além de começar a jogar mil jogos e dropar todos ao mesmo tempo, eu estive lendo uma série de mangás, porque eu precisava ler algo com quadros e imagens.

E é aí que me veio a ideia de reler um mangá que tinha lido há anos, e esse mangá é Great Teacher Onizuka, ou como o mundo prefere chamar, GTO.  Mas, vamos começar do começo. GTO tem uma "prequela" chamada Shonan Junai Gumi (ou Pure Love Gang From Shonan numa tradução em inglês), e é nela que tudo começa, inclusive esse texto.





Shonan Junai Gumi - A Gangue de puro amor:



Pra quem não sabe, Shonan Junai Gumi se resume nas aventuras do protagonista Onizuka Eikichi e seu melhor amigo Ryuji Danma no colegial, em uma missão impossível de ambos perderem sua virgindade com lindas garotas japonesas, e durante essa missão, eles vão se envolver em altas confusões do barulho! E essa fala de sessão da tarde nem é exagerada, pois é a mais pura verdade!

Demorei uns dias para terminar de ler, pois eu decidi ler TUDO envolvendo as desventuras de Eikichi para perder sua virgindade, e isso resultou em uns SETE MANGÁS, mas valeu a pena, oh boy, se valeu!



Shonan Junai Gumi foi escrito e desenhado por Tohru Fujisawa, lançado em meados de 1990, e devo dizer que esse homem não tem muitos mangás famosos além de Shonan e GTO, mas uma outra obra dele que eu conheço é Tokko, e imagino que ao menos uns 2 leitores devem conhecer.

Enfim, sobre o Tohru, eu devo dizer que ele não tem uma arte espetacular, mas funciona extremamente bem pra comédia, e já vou dizendo que comédia é a especialidade dele, porque você chora, chora, CHORA DE RIR com Shonan Junai!

Comprar um lacre de latinha achando que é um anel, quem nunca?

Mas não só chora de rir, como também chora de emoção, o começo do mangá parece ser pura comédia, mas o autor vai adicionando historias e personagens, e ele acaba fazendo de um mangá puramente de comédia em um dos melhores dramas que eu já li na vida, em outras palavras, o feels é poderoso nesse mangá, e ele sempre passa mensagens de vida durante cada arco, jogando uma grande pitada de realidade em suas histórias, além de toda comédia, não só Shonan como toda a saga de Onizuka é um prato cheio pra quem quer aprender lições de vida e chorar bastante.





Como eu disse, acompanhamos a aventura de dois amigos, Eikichi Onizuka e Ryuji Danma da lendária gangue Oni-Baku, eles estão de férias da escola e estão decididos a perderem sua virgindade, e é ai que eles conhecem duas amigas chamadas Izumi e Mariko, e com elas, por incrível que pareça, ambos se dão muito bem. 

Porém, não o suficiente para conseguirem angariar as mocinhas, afinal antes elas descobrem que os dois amigos mentiram sobre suas idades, e que elas são suas professoras. E esse é o arco de introdução do mangá.



Lideres de gangues começam a desafiar a Onibaku e eles sempre saem na porrada, e é mais ou menos assim que a história vai divagando.



Nosso "herói" é Eikichi Onizuka, de 14 anos. Um porradeiro, tarado, canalha, pau no cu, infeliz, mão de vaca e tudo que é de ruim, mas ainda assim, é boa pessoa e sempre dá um toque nos infelizes que querem foder a vida dele e de seus amigos, dar um toque com porrada, claro.
 

Eikichi é um protagonista que eu respeito muito, principalmente por ser engraçadão, mas também é um homem com princípios e disposto a ajudar seus amigos, e claro, é um tarado, mas um tarado que apesar de tudo, quer perder sua virgindade com alguém que ele realmente gosta.




Isso é mostrado em um das partes finais, onde Eikichi se apaixona por uma garota rodeada de mistérios. E devo dizer que foi o arco mais emocionante de todo o mangá, e o mais adulto também, a forma que desenvolveu os personagens, principalmente o Eikichi foi excelente, a conclusão também é perfeita e me fez pensar muito sobre o amor em si, essa é uma daquelas que vai ficar marcada na minha memória para sempre.


No passado, Eikichi foi um grande amigo de Kyousuke Masaki, líder da lendária gangue de Shonan Midnight Angels (Anjos da Noite em PT/BR) no qual via como seu irmão mais velho. Ensinou muitas coisas da vida para o garoto, e ainda lhe deu sua lendária moto ZII e seu lendário sobretudo dos grandes lideres da Midnight Angels, e Eikichi os guarda como tesouros, e presta grande respeito ao antigo amigo.

Sem nunca mostrar o rosto, Masaki é um dos personagens mais interessantes da série em geral mesmo com sua ausência, é como se ele fosse um ser místico.


Além disso, Eikichi respeita muito as decisões de seu amigo, Ryuji, e sempre está disposto a apoia-lo, mesmo se a decisão dele for abandonar a Onibaku.  E isso não vale só pra o Ryuji como todos aqueles que estão ao lado dele, ele sempre tenta ajudar quando pode.

Menos quando tem mulher no meio, ou ameaça séria de morte, ai nessas horas que se foda o próximo, né?




Por falar em Ryuji, ele é o outro membro da Onibaku, a amizade dos dois é enorme, e só fica por um fio quando ambos estão perto de se foderem muito em alguma treta.


Porque não existe amizade quando a treta é séria, que o desgraçado morra sozinho! MUAHAHA ...

Ok, não é bem assim.

Ryuji  Danma é quase a mesma coisa que Onizuka, porém muito maduro e leva as coisas mais a sério, e não tem tanto azar com mulheres como seu brother. Assim como Onizuka, é um monstro em combate.

Com Ryuji, o autor mostra mais um lado realista da vida para o leitor, muitas coisas acontecem na vida do rapaz, desde corações partidos, até responsabilidades, desde arrumar trabalhos ainda na sua adolescência para manter uma vida, e quase largar a escola por causa disso, além de tudo, ele mostra uma grande irmandade com Onizuka, e acaba vivendo dilemas sobre como vai levar a vida: vai continuar sendo um delinquente brigão da Onibaku, ou tentar formar uma vida ao lado da pessoa que ama?

Pra quem manja de GTO, deve conhecer a namorada do Ryuji, seu nome é Nagisa Nagase, e ela é a responsável por introduzir o melhor arco do mangá, o arco da volta dos Midnight Angels.


Nagisa é uma garota dócil e muito gentil, porém, devido a alguns traumas do passado, ela desenvolveu uma outra personalidade chamada de Yasha, que é totalmente o oposto, violenta, sádica e por incrível que pareça tem uma força incomum.

Essa é Yasha, no fodendo arco mais foda

Eu a via em GTO, e nunca imaginei que ela teria um background tão interessante assim, foi uma surpresa de verdade, e no final desse arco todo, só consegui me emocionar "BAGARAI".

Além dessa galera temos outros personagens maneiros como, Fujisaki Shinomi, uma velha amiga de Eikichi, no qual o mesmo considera como uma irmãzinha.


Ela era uma gordinha durona que emagreceu e virou uma gata... ainda durona, e pode-se dizer que ela é uma versão feminina do Onizuka, e também é uma mestra na arte de Tsunderar! Shinomi é uma Tsundere raiz, claro que ela ama muito o Onizuka, apesar de não admitir como uma boa Tsundere, mas para sua infelicidade, o mesmo a enxerga como uma irmãzinha, independente de como sua aparência tenha mudado.


Sim, o rapaz é uma mula por não namorar ela, mas os dois já protagonizaram situações extremamente engraçadas, e claro, como quase todo personagem desse mangá, a história dela tem vários dramas (feels) envolvidos. É a melhor personagem feminina do mangá pra mim.

E juro que não é por causa disso.


Também tem o fdp do Toshiyuki Saejima, feio que só o rapaz. Apareceu na história querendo foder a Onibaku até o talo, mas não teve muito sucesso, mesmo ao lado de seu companheiro Kamata Jun, eles formam a Kamata Mad Dogs.



O rapaz protagoniza um dos capítulos que mais ri na vida, ele é tão feio mas tão feio, que até sua família tem medo dele.

E... acho que é isso, Shonan tem personagem pra caramba (da uma olhada na imagem que eu coloquei pra introduzir), é quase um Chrono Cross dos mangás, e eu simpatizo com maioria, mesmo alguns aparecendo em poucos capítulos. Se quiserem conhecer o restante, vão ler (isso não tem nada a ver com o fato de eu ter esquecido o nome de um monte de personagem, eu juro).

Bem, devo dizer que fiquei de cara com o jeito que o autor trata os personagens e os temas, e sempre coloca um humor excelente no meio de tudo, mas nunca desvia o seu foco, e quase em todo arco você vai estar apreensivo com tudo que esses dois passam.

Uma ótima historia de amor, porrada, realidade, amizade e etc.

Tem tudo que a gente gosta dos pré anos 90.


Tensões românticas com mulheres cobertas por toalhas em suas casas, briga de gangue escolar, comédia, lutas, motos e umas das coisas que acho mais legais dessas histórias: esses valentões japoneses dos anos 80/90 com cabelos engraçados e cara de capeta! Digo isso porque meus protagonistas favoritos são nesse naipe, como Yusuke Urameshi e Josuke Higashikata por exemplo.

briga de gangue escolar >>>>>>>>>>> all

Eu só prefiro coisas mais "pé no chão", sem muito exagero como DEUSES DIVINOS JAPONESES ENCARNADOS EM ESTUDANTES, tipo o retardado Ikkitousen... nada contra quem gosta, até porque eu curto bastante essas paradas também, mas porradaria pé no chão é muito mais legal.

Nem devo avisar que a arte do mangá muda bastante também, né? Digo, só compare as imagens que eu mandei ai, eu misturei tudo pra dar uma ilustração melhor, mas perceba a diferença nos traços.

Infelizmente, nunca achei esse mangá traduzido em nossa língua, tem umas scans, mas a galera não continuou pra minha infelicidade, eu li em inglês e ainda o li "quebrado" pois a galera responsável pela tradução não traduziram alguns arcos, o melhor arco que eu citei, dos Midnight Angels se encontra quebrado, do 122 pula pro 144, e depois do 152 pula pro 180.

É... eu quase chorei por causa disso, mas ainda assim terminei o arco dos Midnight Angels lendo scans tailandesas (eu acho) e lendo uns resumos por ai, foi triste, mas ao menos consegui entender a conclusão.

... Qualé, não sou viciado.

Mas mesmo com todos os problemas eu persisti e terminei o mangá, pois se eu me incomodar com isso então eu não lia nada! Duvido que alguém volte e arrume tudo, mas devo dizer que a experiência foi incrível, recomendadíssimo que leiam.

Oh, e Shonan Junai teve OVAs também, mas não recomendo essas animações, não... a única coisa que salva é a voz que deram pro Masaki em uma das OVAs.

Mas fora isso, dispensem, só recomendo se estão com uma vontade louca de conhecer e tem preguiça de ler mangá.



NEXT!

Bad Company -  O começo de tudo:


Lançado um tempo depois que Shonan Junai Gumi terminou, lá em 1995, Bad Company é uma prequela de Shonan Junai, mostrando como Eikichi e Ryuji se conheceram de verdade.

Vou ser sincero e dizer que não reli esse mangá, e a ultima vez que li ele foi muito tempo atrás, e não, não to com saco pra ler agora só pra falar com um pouco mais de detalhe sobre ele, mas lembro que era bem maneiro, a forma que o autor mostrou Ryuji conhecendo o Eikichi foi bem bacana.



E tem a Sakura Yamato, eu mal lembro dela, mas do que eu lembro dessa história, ela era um amorzinho, não no sentido kawaii de ser, mas era uma mina bem louca.



Claro que não é só isso, o mangá apesar de ser curto comparado aos outros, ainda tem capitulo pra caramba, e tem ainda mais encrenca relacionado à esses dois, mas é essencial pra conhecer mais deles, até porque, eles saem na porrada aí.





Great Teacher Onizuka - O Professor mais foda do mundo:



GTO, por mais que pareça, não é uma continuação direta de Shonan Junai (falo disso depois) mas é a continuação da trajetória do Onizuka, e sem dúvidas é a parada mais famosa dentro desse "universo" todo, tão influente e famoso que A Gangue de Puro Amor de Shonan teve o nome alterado para GTO - The Early Years nos EUA, por conta da popularidade de GTO.

Teve uma boa animação, que ainda é inferior ao mangá, mas é muito melhor que as OVAs de Shonan Junai Gumi.



Foi lançada em 1997, e nela temos um Onizuka com 22 anos, que depois de altas mutretas em Shonan Junai, foi morar em Tokyo, na esperança de conseguir uma vida melhor, e nosso herói não consegue é porra nenhuma, e vive fazendo bico de pedreiro por aí.

Até que um belo dia, ele conhece uma estudante que namora com seu professor baixinho e feio mil vezes mais velho que ela, e então nosso herói tem a grande ideia de virar um professor e perder então, o bendito cabaço que persegue sua tartaruga desde os seus tempos de moleque.

Sim, apesar de tudo, ainda estamos numa história sobre um homem tentando perder a virgindade, sempre foi sobre isso!

Ryuji consegue um emprego como mecânico, e é mais bem sucedido que seu amigão aí, inclusive é praticamente casado com Nagisa, apesar de não ter confirmação nenhuma disso.

Bem, o sonho da vida de Ryuji era casar e ter filhos, e ele tá perto desse sonho. Enquanto o Onizuka (perceberam que eu parei de chamar ele de Eikichi? É, eu também percebi) sequer perdeu sua virgindade, e agora vai tentar o seu melhor como professor.

E cara, GTO é FODA, pra começar foi bem legal ver a mudança do Onizuka, de um delinquente com um status enorme pra um bostão virgem de 22 anos tentando virar professor, virar professor, é isso que me surpreende, porque eu acho que nem em umilhão de anos alguém esperaria por algo assim!



Como diria o M. Night Shyamalan "WHAT A TWIST!!11".

Nos primeiros volumes, vemos a jornada do Onizuka até ir parar na escola privada conhecida como Holy Forest, o grande foco de GTO, onde a pedido da Diretora da escola, Kyouko Sakurai, Onizuka passa a morar no telhado da escola, e ainda por cima tem a terrível missão de ser o professor do 3-4, onde os alunos são famosos por serem demônios incontroláveis, tão terríveis que os professores anteriores desistiram de seus trabalhos.


"Eita"

E ninguém é melhor que um ex valentão de uma gangue lendária de Shonan para fazer esses alunos andarem na linha!

Bem, o mangá funciona mais ou menos como Shonan Junai funcionava, no caso, cada aluno tem um arco próprio, e o Onizuka vai "enfrentando" cada um deles como um novo desafio, alguns alunos são simples bobões, outros tem marcas profundas de traumas que ocorrerão em suas vida, tem aqueles que sofrem bullying e por aí vai.

Tohru agora explora jovem com problemas mais padronizados, não só no Japão, como no mundo todo. O que era antes focado em dramas de valentões, muda para os jovens alunos e seus traumas, o que muitas vezes pode ser mais tenso que sair na porrada um com o outro.

Onizuka começa sua jornada com o nerdzinho viciado em jogos, Noboru Yoshikawa, um garoto tão fraco que até uma bola de papel derruba ele no chão. Ele sofre Bullying de um grupo de garotas chatas pra caralho lideradas por Anko Uehara, e graças a elas tenta suicídio algumas vezes, porém Onizuka consegue impedir o garoto, prometendo mudar aquele lugar para sempre.



Claro que as coisas não melhoraram tão fácil, e Noboru volta a sofrer abuso, e então o Onizuka decide ajuda-lo de vez, dando abertura ao arco de Noboru.



É, as situações aí só pioram, vai por mim.

Acho que essa é uma boa hora pra falar do cast de apoio. claro que vou falar dos que eu mais gosto, pois assim como Shonan, GTO tem um cast enorme, mas não tão grande quanto Shonan Junai.

Entre eles temos Yoshito Kikuchi, um gênio dos computadores que é um dos primeiros a ficarem do lado de Onizuka, por conta de sua reação estranha com uma montagem que ele mesmo fez.



Não tem muito o que falar dele, mas pode-se dizer que ele gostou do Onizuka logo de cara, além disso é muito próximo a Urumi Kanzaki, um gênio com MIL de QI




Que volta para a escola no intuito de ferrar a vida do professor, mas acaba gostando das galhofas desse rapaz, como todo aluno.

Urumi é uma das personagens mais exploradas do mangá, um gênio que sofre com depressão e com um passado horrível, e também sofre com a ausência de sua mãe.

Temos Kunio Murai e seus amigos, Kouji Fujiyoshi e Tadaaki Kusano e bem, Kunio é um moleque chato pra caralho, e tem uma rivalidade com Onizuka.

Da esquerda pra direita, Tadaki, Fujiyoshi e Kunio.


Seu ódio pelo professor ,além de ser melhor que ele em muitos jogos, também é por conta de sua mãe, que é uma tremenda gata, e ele tem medo que pessoas como o Onizuka se aproximem.



Outra aluna é Tomoko Nomura, uma garota com peitos de adulta, mas com uma mentalidade de uma criança.



Ela é amiga, (ou pelo menos acha que é) de Urumi, e Miyabi Aizawa, que a maltrata por ser muito desligada e burrinha, mas no passado ambas tiveram uma boa amizade, sem falar que ela protagoniza um dos meus capítulos favoritos também.

E por falar no diabo, temos Miyabi, que aparentemente é a "grande vilã" do mangá, já que muitas coisas rondam ao redor dela, inclusive o maior segredo da classe, e ela odeia o Onizuka, de verdade.



Fora os alunos, de personagens temos a dócil professora Azusa Fuyutsuki, que parece ser mais ou menos par romântico do Onizuka nessa sua jornada de professor, mas claro que nenhum deles saem do 0, mesmo ela gostando muito dele.



De começo, eu achava ela muito meh, mas até que as vezes a personagem tem capítulos focados muito interessantes, o que eu mais me lembro é um que ela passa a repensar sua vida como professora, depois de sofrer ataques de outras alunas. Ela, em outras palavras, tenta muito aprender a lidar com esses problemas,  e Onizuka a ajuda.





Asuza tem um admirador secreto cujo nome é Suguru Teshigawara, um professor bem sucedido, que é meio estranho, e tem uma paixão por Asuza, e por conta da relação dela com o Onizuka, ele o odeia, quase no mesmo nível de Miyabi.

Muito de boas esse rapaz, pode confia amiguinho


Ele também é responsável por um dos arcos que mais ficou cravado na minha cabeça , não vou dar detalhes, claro, durr, mas grandes lições de vida se encontram nele, com uma conclusão de fazer até mesmo o maior viking chorar.


E como parar por aqui sem falar do grande mito, Hiroshi Uchiyamada?



Grande pai de família, que ama muito sua filha e seu Toyota Cresta, que teve sua vida totalmente distorcida com a chegada de Onizuka em sua vida! Desde então, seu Cresta é diariamente destruído, e sua família passa pouco a pouco a respeitar menos o grande pai de família que esse velho é.

RIP Cresta


Sempre descontando sua raiva em belas moças no trem, é, Uchiyamada é um velho tarado, mas um dos personagens mais cômicos de GTO. Impossível não rir das encrencas que esse senhor arruma com o Onizuka.

E quase ia me esquecendo do Saejima, sim, o mesmo de Shonan Junai.

A cara nunca muda.

Aqui ele é um personagem que faz uns cameos em alguns capitulos, e tem pelo menos uns 3 totalmente focados nele. O desgraçado virou um policial, mas é o policial mais corrupto já visto, pegando toda mercadoria roubada para si e fazendo altas merdas, eu nem sei como o infeliz conseguiu se tornar um, mas enfim. 

Esse foi o cast de GTO, que eu gosto muito! É um mangá bem distante de Shonan Junai apesar de algumas semelhanças, e ele é ainda mais dramático, só não sei dizer se é mais engraçado, eu acho que chorei mais de rir com Shonan Junai do que com ele, mas em comédia, ambos são masterpieces, essa é uma marca do autor.

Outra coisa que me chamou bastante atenção no GTO, é que parece que ele se passa mesmo na vida real, digo isso porque sempre que aparece um produto, tipo um Playstation 1 ou quando vão citar algum jogo, eles não mudam o nome e não alteram a aparência.

Aparentemente ele gosta da Asuka tmb... me identifico.
Pode ser que seja alteração do tradutor, mas eu tenho minhas duvidas, e quando o Onizuka comprou um Playstation 2, era mesmo um Playstation 2, é uma parada meia boba, mas quando você quer mostrar que sua obra se passa no mundo real, acho que isso é importante.

Ok, voltando a falar da história em si, aqui nosso querido Eikichi Onizuka evoluiu bastante, ele já era um cara que sempre botava os outros na linha, aqui ele é um homem que ensina de uma forma diferente, ele não tem inteligência para lecionar de forma padrão, então o seu jeito de ensinar é fazendo os alunos superarem seus medos e problemas, e diverti-los como nunca, seu jeito de ensinar é fazendo os seus alunos felizes.





E é isso que me chama muita atenção em GTO, e suas continuações seguiram a mesma linha, parece até um pouco forçado, levando em conta que maioria dos personagens tem algum trauma, mas ué, isso é verdade, todo humano tem problema, e de alguma forma nós temos que superar isso, Onizuka como um bom professor lhes mostra o caminho, fazendo até mesmo o impossível por seus alunos, eu acho que alguns professores deveriam até mesmo ler o mangá para aprender sobre algumas coisas, os alunos são seus, então os guie para um futuro melhor.

Ok, o que mais tenho que falar?

Acho que nada, só SE NÃO LERAM, VÃO LER.

Não é necessário ler Shonan Junai para ler GTO, então apenas aproveitem, já que eu sei que Shonan não é acessível pra muitas pessoas.

Foi um dos melhores mangás que eu já li, gosto de verdade de GTO, hoje em dia prefiro o Shonan Junai, mas foi ele que me introduziu a toda essa bagunça, e foi ele que me ensinou várias lições de vida que foram importantes para mim, pois quando eu o vi pela primeira vez, era apenas mais um adolescente que tinha grandes problemas, e um simples mangá me ajudou bastante nessa epoca dificil.

Ser adolescente nunca foi fácil na vida.

GTO é um must read pra todos que curtem uma comédia e um drama bem feitos, prato cheio demais.





Shonan 14 Days - Os 14 dias de férias em Shonan:





Shonan 14 Days é uma side story que se passa logo após o penúltimo arco de GTO, que foi lançado em 2009.

Em seus dias de férias, Onizuka decide voltar para Shonan devido a uns problemas que ele teve em Tokyo, e decide ficar por lá durante 14 dias, e bem, 14 dias já são o suficiente pra acontecer ALTAS PUTARIAS. De cara, o lendário Eikichi da Onibaku se encontra com uma mina corpão violão chamada Ayame Shiratori, que por incrível que pareça é amiga próxima de Azusa, e ouviu falar bastante de Onizuka.



Ela então pede ajuda do jovem professor para que ele a ajude a cuidar de crianças órfãs em um orfanato ali mesmo em Shonan, conhecido como White Swan, e como ela é uma gata, Onizuka não perde tempo, e decide ajuda-la nessa missão.

Bem, aqui temos a formula GTO de sempre, crianças órfãs é um prato cheio pra um mangá como GTO, e eu posso dizer que os temas explorados aqui, novamente, são muito bons e bem tensos por sinal.

Um garoto que foi abandonado pela mãe, uma garota que foge de seu pai abusivo, duas gêmeas traumatizadas com acidentes familiares, e por ai vai.

Eu não esperava muita coisa quando eu li, mas acho que esse mangá me emocionou tanto quanto GTO, alguns casos são mostrados de formas chocantes, e nada me deixa mais triste que problemas com os familiares.

A historia que mais me prendeu aqui foi a do rapaz chamado Seiya Dojima, que foi abandonado por sua mãe e tinha um pai adotivo arrombado demais, no qual destruiu a vida dele.



Seiya está decidido a matar o bastardo e de alguma forma, libertar a sua mãe (e ele mesmo) desse pesadelo.

O que me emocionou aqui foi justamente o jeito que é contada a história, tudo termina de uma forma que eu particularmente não esperava e me deixou bem sad.



Outra história que me surpreendeu foi da menina Ikugo Ogaki, que quando era criança sofreu abusos físicos pesados de sua mãe, que é uma escritora (se minha memória não falha) com crise de raiva, e quando ela ficava nervosa descontava tudo em sua filhinha, apagando o cigarro em seus braços e jogando água fervendo nela, entre outras coisas, até que ela acabou perdendo a sua guarda e Ikugo foi parar em White Swan, um lugar muito melhor para ela.



É esse tipo de história que tem em Shonan 14 days, devo dizer que apesar de algumas histórias tensas em GTO, não se comparam aos problemas apresentados aqui.

E sem falar que a Shinomi volta nesse mangá, mais linda do que nunca.

Queria tanto que ela fosse um personagem recorrente na série.

Não só a Shinomi como outros personagens de Shonan Junai fazem um cameo rápido no mangá, porque se passar em Shonan e não ter nenhum dos personagens clássicos é muito vacilo.

Quem leu Shonan Junai vai manjar de quem é.


A minha conclusão foi que leia, pois é muito bom, eu só acho que o ultimo arco do mangá deixou um pouco a desejar, mas foi ótimo mesmo assim.


Bem, ainda tem mais uns pra citar.

GTO - Paradise Lost - Altas histórias de presidiário: 

Afinal, é Toru ou Tohru? Ah foda-se

Agora sim, esse não é side story nem nada do tipo, esse é uma continuação direta de GTO que foi lançado em 2014, e ainda está em andamento, sim, eu agora fiz o meu maior karma de mangás com GTO, li ele em andamento, e agora espero mil anos por um capitulo.
 
Aqui Onizuka se mete em uma encrenca pesada na Holy Forest, e agora leciona em uma turma do ensino médio, mas claro que não é só isso, como a Holy Forest só deve ter aluno loko, essa turma aqui é uma turma só de estudantes famosos na mídia, ou seja, temos atores, cantores, cantoras e várias merdas japonesas.

E foi exatamente isso que me chamou atenção, é o autor de GTO explorando toda essa febre japonesa sobre essas "idols" and shit, e claro que o ego desses indivíduos devem ser lá na puta que pariu, e claro que o Onizuka não gosta dessa merda... na verdade gosta, mas é no outro sentido.


E por falar em Onizuka, aqui o nosso querido Oni-Baku tem 24 anos, mas continua o mesmo rapaz de sempre, como podem ver ai em cima.

Bem, o mangá funciona da seguinte forma, Onizuka foi preso, e lá, ele conta suas desventuras pros outros presidiários de como um professor foi preso. Aí temos as histórias normais que são basicamente flashbacks, mas ainda tá em andamento, e sinto que até eu descobrir o que ocorreu vai demorar bastante.

De personagens, temos o Uchiyamada que está de volta, e até onde eu li, ele teve muito mais foco que antes, o arco que o mangá se encontra é totalmente focado nele. Saejima volta, Ryuji e Nagisa sempre aparecem para fazer cameos, e... por enquanto é só, não quero falar dos alunos.
Que porra aconteceu com seu cabelo, Saejima?

O legal disso é você ver como os personagens mudaram e cresceram, e algumas paginas com foco nesses amigos foram os responsáveis por me fazer ver o quão legal isso é.

Como eu já disse, o que me chamou atenção além disso de explorar "atores famosos", foi como a série evoluiu. Tratando de assuntos contemporâneos e até mesmo o famoso escândalo de meninas que vivem tirando fotos nuas apenas para chamar atenção. Smart Phones e várias merdas de hoje em dia são presentes nesse mangá, e isso é muito legal de observar. Mas não tenho muito o que dizer, só que estou acompanhando e estou gostando bastante.

E esse até agora tá sendo o ponto final da saga do Onizuka, mas claro que a série tem mais coisa do que GTO. 

O artigo acabaria aqui, se não tivesse que citar mais duas coisinhas antes de encerrar.




GTR - O grande transportador Ryuji!




Ryuji em Shonan Junai foi tão protagonista quanto Eikichi Onizuka foi, e claro que ele iria ter uma série focada nele...

Que infelizmente foi cancelada...

GTR ou Great Transporter Ryuji de 2012, se passa durante as épocas de GTO, mais ou menos perto de Paradise Lost, acredito eu, onde Ryuji vive perigosamente com Nagisa, fazendo altas corridas clandestinas pela cidade.

Isso chama a atenção de uma garota colegial, que tem planos maiores com o rapaz.



E o que posso dizer sobre esse mangá? Eu li todo, é divertido e eu gostaria de ler mais, mas infelizmente não vingou, e não vingou pra mim também, acho que se o autor apenas explorasse a vida normal do Ryuji já dava certo, até porque, como ele é o Ryuji, treta é o que não ia faltar na sua vida, mas o autor quis viajar legal aí, e a imagem acima é meramente ilustrativa.

É legal pra passar o tempo, mas só, e é uma pena porque eu queria de verdade um mangá focado no Ryuji.

No mais, 10 capítulos eu acho? Por ai, não tem muita coisa, então vale checar.


Ino-Head Gargolye - Um fodendo Spin-off do Saejima?


Sim, e não tenho muito o que falar não, descobri a existência desse quando estava escrevendo o artigo, e pretendo ler um dia.

É engraçado porque eu não dava uma foda pro Saejima. Sempre achei ele engraçado, mas nunca imaginei que ele ia ter tanta atenção assim. E parece que o mangá dele tá fazendo sucesso oh, nem foi cancelado ainda e é de 2012. Mas aí eu vi que está em hiato... não sei se é uma boa ideia.

Mas oh, tem uma arte bem maneira.




Shonan Seven - As tretas em Shonan nunca dormem:



Por falar em arte maneira, eu esperei muito pra falar pouco desse mangá!

Lembram quando eu disse que GTO era mais ou menos uma continuação de Shonan Junai?  Ele não é uma continuação por conta desse mangá. Shonan Seven sim é continuação de Shonan Junai, porém ele não foca em nenhum personagem que a gente já conhece, e introduz personagens totalmente novos nesse universo de Junai Gumi.



Lançado em 2014, e ainda está sendo publicado, com roteiro de Tohru e arte de Takahashi Shinsuke, conta a historia de um garoto chamado Ikki Kurogami que começa novos dias de aula na mesma escola que Eikichi e Ryuji estudaram, sim, na mesma escola que se passava grande parte de Shonan Junai Gumi.

Não, não sei qual é a desse dente ai não.

E bem, tá tendo um conflito pra decidir quem vão ser os SETE DE SHONAN, (é engraçado porque sempre que citam Shonan Seven nesse mangá, ele fica destacado).



Então é organizado um tipo de torneio pelas escolas de Shonan, para decidir quem vai ser os sete fodões dali, sete representantes de cada escola, e sete fodendo motos pra cada, então essa é a jornada de Ikki e seus amigos para se tornarem os fodões.

Eu ainda estou lendo, e li muito pouco, mas oh boy, com a arte de Shinsuke eu vou longe, o cara manda bem demais.




Cedo pra mim introduzir os personagens aí, li bem pouco mesmo, e nem venha reclamar que eu faço os artigo antes de ler , ninguém me diz o que fazer.

Urrr me senti muito badass agora. 

Pra não dizer que eu tive um "momento ui ui ui" ...

Tá saindo junto com GTO - Paradise Lost e não está em hiato, e apesar de ser continuação de Shonan Junai Gumi, ele é bem distante e parece bem diferente também. Ainda espero ver algum personagem de Shonan Junai Gumi nesse mangá, porque se passa em Shonan e sequer citar uma das lendas é vacilo.

E esse foi o ultimo mangá pra se falar a respeito, lal.

Conclusões Finais:




Gostaria de agradecê minha mãe, meu pai, zoas, tudo que posso dizer é que foi PERTINENTEMENTE acompanhar toda essa trajetória de Eikichi Onizuka, mesmo deixando algumas coisas de lado, caramba é loucura!

Imagino os japa que acompanha Shonan Junai Jumi desde o começo, e ainda acompanha todas as desventuras do Onizuka e da galera, deve ser uma experiência e tanto.
 
quem reclamar da minha montagem no paint, leva VOADORA

Digo, olha só como o Eikichi mudou cara! Eu fiquei percebendo isso enquanto lia e isso explodiu minha cabeça, ai aparecia os personagens clássicos em cameos e eu desmaiava, porque é foda, muito foda. No mais, quem eu gostaria de agradecer é a todos os translators e brothers que trouxeram as scans até nós, o trampo desses caras para os fãs é muito bom, e ilustrar esse artigo sem eles seria impossível... fazer esse artigo seria impossível.

Ainda sonho no dia que AO MENOS GTO seja publicado no Brasil, e quando esse dia chegar, eu serei o primeiro a comprar. Porque ainda quero ver essa estrada toda na minha prateleira. O mangá mais engraçado que já li, que mais me ensinou coisas dentro de todo esse meio dos quadrinhos, e o que mais fez meus dias melhores, acho que todos merecem ser lidos, mesmo com as limitações que eu citei em Shonan Junai.

NÃO PERCA TEMPO E VÁ LER SEU OJIOROMBO.

Ah, e eu não citei lá em cima, mas GTO (e se não me engano Shonan Junai também) tem uns live actions e uns Dorama, não citei lá em cima porque sim.

Não consigo gostar dessas coisa, desculpa gente... mas até que ficou maneiro hein.

 
NOTA:   


ESSA EXPRESSÃO DE 10

Tohru Fujisawa rula, GTO me proporcionou as memórias e madrugadas mais tranquilas e divertidas que um jovem despreocupado poderia ter, e Shonan Junai me deu as maiores risadas que dei na minha vida.

No mais, é só isso, até a próxima!
 

Postar um comentário

[facebook]

Flames

PedroTreck

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget