Amano é sem duvida, FORMIDÁVEL. O jeito que ele combina os estilos tradicionais japoneses e europeus, unidos a inspirações psicodélicas, expressa bem o imaginário clássico dessas culturas e cria uma arte híbrida e sem duvida, mais do que única.