Outubro 2015



Esse é o jogo que mudou minha perspectiva sobre essas obras. Foi algo que estranhamente me prendeu na época e eu não entendia o porquê, mas nenhum outro jogo havia feito aquilo comigo. Só sei que o joguei incontáveis vezes.  

Estava totalmente submerso naquele mundo paradisíaco. Diabos, logo na tela de apertar o Start o jogo já havia me fascinado! Era como apertar o start e entrar num paraíso, ao menos eu acho que é assim que eu me sinto hoje em dia.



Bom, Chrono Trigger foi desenvolvido pela "Dream Team", uma equipe que tinha uma caralhada de gente boa envolvida, só podia sair algo muito especial de uma parceria gigantesca dessas. Vendo por um lado, ele parece um tipo de divindade suprema, e pra muitas pessoas ele é exatamente isso. Chrono Cross teve a difícil missão de ser a continuação desse jogo, e muitas pessoas simplesmente não puderam aceita-lo pois ele se distanciava de várias coisas do anterior, além de não controlamos os mesmos heróis do jogo passado.

É como um jogo novo, um sucessor espiritual de Chrono Trigger, mas a verdade é que ele é uma continuação direta. É isso isso ai galera, a Squaresoft (RIP) foi ousada e tentou esse movimento maluco, e mesmo que metade da Dream Team não tenha feito parte do desenvolvimento de Chrono Cross, os que restaram tentaram o seu melhor para criar um jogo ás alturas. Não sei bem qual foi o maior objetivo com Chrono Cross, eu não acho que tenha sido o mesmo que foi com CT, mas conseguiram criar algo único, um pouco distante do antecessor, mas ainda assim remete o mesmo em alguns aspectos e apresenta novos aspectos de uma forma sem igual.

E olhem só, esse é o jogo em que Yasunori Mitsuda compôs as melhores musicas da vida! 


Um dos pontos mais criticados de Chrono Cross é o fato dele não ter os personagens principais do jogo anterior e ter feito algo "cruel" com os mesmos neste futuro extremo de CC, mas pra mim esses fatos são algo que dão um charme enorme no enredo, mostrando que as vezes não existe final feliz no fim das contas.

Mas isso é assunto pra outra hora. Aqui eu só quero falar do jogo e unicamente sobre ele. Suas mecânicas, gráficos, trilha sonora... essas coisinhas! E claro, falar o que esse jogo significa pra mim. 

Vamos ao REVIEW!



Escassos são os que possuem tais almas brilhantes. Gravelord Nito, a bruxa de Izalith, os Quatro Reis de New Londo, herdeiros dos fragmentos da alma de Gwyn... e o ex-confidente do Lord Gwyn, Seath o Descamado. Todas as suas almas são necessárias para saciar o Lordvessel. 
...
Você está pronto?


E como planejado, trago a continuação da série "Cronologia do lore de Dark Souls" aqui deste recinto multiversal que é o blog MIL! Para os que estão chegando agora ou simplesmente pra quem quer recapitular, vocês podem conferir:

Parte 1: AQUI

Parte2: AQUI

Cronologia Dark Souls 2: AQUI

Cronologia Demons Souls que não tem ligação direta mas merece amor também: AQUI

E antes de qualquer coisa, como sempre digo, Dark Souls é uma série com a maioria dos seus eventos e elementos subjetivos, o que não dá direito de alguém afirmar praticamente nada com 100% de certeza. Mesmo que sempre tenha um que insista... Urgh.

Eu particularmente prefiro pesquisar lendo wikias, trivias ou descrições de itens, simplesmente porque prefiro ler. Porém, apesar de não ser do meu feitio, gosto bastante de assistir alguns canais do youtube, e um deles, o qual considero A referência pra qualquer um que gosta dos lores de Dark Souls, é o canal do Epic Name Bro, que eu recomendo DEMAIS, (apesar de saber que 99,9% de vocês já tão ligado nisso). Existem outros canais muito bons também e que não duvido que vocês ganhem mais os vendo do que lendo esses meus artigos. Mas enfim, pra vocês que ainda quiserem continuar desbravando esse blog, sigam-me.

Vamos ao artigo de uma vez!



"Somente, nas antigas lendas afirma-se, que um dia um "undead" deve ser escolhido para deixar o asilo dos mortos-vivos, em peregrinação, para a terra dos antigos Lords, Lordran."

E Dark Souls está de volta no blog MIL!!! YEEEEEEEEE!

Como eu havia dito, antes mesmo de criar o blog, eu já tinha em mente a vontade de falar deste que eu considero o meu terceiro mindblow no mundo dos games. Que pra mim, entrou na categoria “jogo que te faz jogar até seus dedos caírem e nascerem de novo”, e ainda foi além, por me fazer repetir esse processo mais do que o normal. 

Mas enfim, não pretendo contar o quanto esse jogo foi relevante para mim, pelo menos não de forma convencional. Nesse momento, eu irei continuar diretamente uma das minhas primeiras séries AQUI do blog, Cronologia do lore de Dark Souls, agora com o foco no que acontece IN-GAME. Como vocês devem saber, Dark Souls possui dois finais que redefinem um ciclo de eterno retorno em seu enredo.


Mas, e os fatos e caminhos para se chegar nesses destinos? E a história por trás do mundo atual, dos lugares e sobre os seres que nele vivem? Hoje no globo repórter... É justamente sobre isso que eu irei abordar aqui. Com certeza eu terei mais espaço e tempo para divagar sobre detalhes que tanto me fascinam nesse misterioso mundo do jogo e ainda a oportunidade de linkar os eventos com sua continuação, Dark Souls 2, que por sinal também já tem sua cronologia AQUI.

E mais uma vez, ressalto que praticamente tudo nessa série é ambíguo e isso não dá direito de ninguém afirmar 100% quase nada. Aqui irei expor observações pessoais, interpretações e teorias, explicando no processo, junto dos acontecimentos do game. Sinta-se livre para indagar, afinal, é o certo a se fazer quando estamos "loreando" Dark Souls.

Então, leitores que pairam nesse recinto multiversal, deixemos de enrolar e comecemos com esse artigo de uma vez!

Flames

PedroTreck

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget